©Joana Linda


Nasci em 1983, em Aveiro, Portugal. Sou uma criadora e performer, baseada em Lisboa, cujo trabalho articula diferentes áreas artísticas, como Teatro, Performance, Instalação e Vídeo.

O meu trabalho propõe uma noção de teatro como um lugar para estar presente com todos os sentidos, ao criar espaços tácteis para o espetador habitar ou espaços onde os diferentes sentidos são traduzidos em tato, sinestética ou metonimicamente. Esta noção de teatro enquadra-se que na pesquisa que tenho realizado sobre modos alternativos de ultrapassar/lidar com o binário sujeito/objeto e as implicações da centralidade da visão na reiteração de uma dinâmica fetichista entre o público e o performer.

Nos últimos dois anos, comecei a desenvolver uma prática a longo-prazo de encontrar pessoas, onde inicio encontros que têm funções indefinidas e impercetíveis. Esta pesquisa consiste em criar encontros como situações híbridas para questionar e expandir modalidades de estar juntos e a performatividade do encontro.

Em 2007, licenciei-me como Atriz e Encenadora na Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa). Entre 2007 e 2015, trabalhei sobretudo em colaboração artística com a performer e criadora Solange Freitas. Criámos juntas os seguintes espetáculos de teatro: Go Tell Fire To The Mountain (2015); Ex Machina (2014); Bugs (2013); O Festim, em colaboração com o performer e criador Tiago Cadete (2012); Fora de Jogo (2011); Temporária (2010); Lá e Cá (2007). Como performer, trabalhei com Rimini Protokoll; Ricci/Forte; El Conde de Torrefiel; Jérome Bel e Edit Kaldor.

Em 2018, completei o mestrado DAS Theatre, da DAS Graduate School (Amsterdão), como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Apresentei o meu primeiro trabalho a solo, Chego sempre atrasada aos funerais importantes, no Teatro Maria Matos (Lisboa), em Janeiro de 2018.

Mark
EN | PT